PROJETO SEMENTEIRA ESPERANTO

BOLETIM INFORMATIVO nr.01, de 21 de outubro de 1997
COLÉGIO ESTADUAL RUI BARBOSA
R.Alinthor Werneck, s/n
Alto da Serra
25635-000 -Petrópolis-RJ
Tel: (024)2423066

Prezado Leitor :
A criação deste boletim foi o meio que encontramos para colocá-lo a par do PROJETO SEMENTEIRA ESPERANTO e, consequentemente, darmos início à implantação do mesmo neste Colégio. Mas, colocá-lo a par do projeto é muito pouco. Na verdade, o que estamos pretendendo é envolver o maior número possível de pessoas na discussão de um problema de interesse coletivo , para em seguida , contando com a efetiva participação dos mais entusiasmados, passarmos a estabelecer novas estratégias e planos detalhados com vistas a resultados cada vez mais eficazes.
Em linhas gerais, o que se pretende é criar no Colégio Estadual Rui Barbosa um núcleo de interessados na expansão do ESPERANTO, língua neutra internacional, destinada a facilitar a comunicação entre povos que falam idiomas diferentes. Esse núcleo de pioneiros , será constituído, indistintamente, de quaisquer membros desta comunidade, incluindo , é claro, integrantes dos corpos docente e discente, As sementes cultivadas nesta sementeira, uma vez germinadas e cuidadosamente cultivadas, certamente serão transplantadas para outros terrenos. É o que esperamos que aconteça.

PRIMEIROS PASSOS:
1.Confecção de um Boletim Informativo, de periodicidade provisoriamente indefinida, contendo notícias sobre o andamento do projeto , sugestões, calendário de atividades, curiosidades, artigos sobre o problema das barreiras lingüísticas , noções sobre o esperanto e outros assuntos de interesse do Projeto.
2.Distribuição do Boletim Informativo para todos os integrantes do Corpo Docente;
3.Estabelecimento de , um quadro de avisos , exclusivo para o Projeto Sementeira Esperanto, em local de destaque e de fácil acesso para os alunos.
4.Realização de sondagens entre os leitores deste Boletim , objetivando fixar dias e horários , compatíveis com os interesses daqueles que manifestarem desejo de participar do projeto.

SOLICITAÇÃO AOS PROFESSORES:
Gostaríamos de contar com a especial colaboração de todos os professores do Colégio na divulgação da existência deste Projeto.

SONDAGEM GERAL:
Se você ainda não se sentiu suficientemente motivado para participar de alguma forma do nosso Projeto, faça pelo menos um esforço para ler integralmente este e os próximos Boletins que pretendemos editar. É possível que você se surpreenda com algumas das informações que daremos e se transforme num dos nossos indispensáveis aliados.
Agora, se você já está com a idéia de se juntar a um grupo de idealistas para saber um pouco mais a respeito desse interessante fenômeno que é o movimento esperantista , então faça um pequeno bilhete contendo os dados abaixo e o encaminhe à Prof. Denise Ribeiro Alves Pereira, em exercício na Sala de Leitura:

NOME COMPLETO
FUNÇÃO QUE EXERCE NO COLÉGIO (se for aluno, indicar a turma de aula, se for professor, indicar a disciplina que leciona ou a atividade que desempenha);
DIAS DA SEMANA COM HORÁRIOS DISPONÍVEIS PARA EVENTUAIS REUNIÕES OU CURSOS LIGADOS AO PROJETO;
CASO POSSUA COMPUTADOR E ENDEREÇO ELETRÔNICO PARA CONTATO, FAVOR FORNECÊ-LO;
OUTROS DADOS QUE DESEJE ACRESCENTAR.

REUNIÕES PRELIMINARES:
Nas próximas terças - feiras, dias 4 e 11 de novembro, o esperantista Fernando J.G.Marinho ( marinho @ npoint.com.br) permanecerá à disposição dos interessados , no horário entre 14h30 e 16h30, na Sala de Leitura deste Colégio, para trocar idéias sobre o Projeto, colher sugestões e esclarecer eventuais dúvidas sobre o tema ESPERANTO.

VALE A PENA RECORDAR O QUE É ESPERANTO:
O esperanto é a língua neutra internacional que tem por objetivo servir de elo de comunicação entre pessoas que falam idiomas diferentes. Ao contrário do que muitos pensam, o esperanto não visa substituir os idiomas nacionais, mas, tão somente, a ser uma segunda língua de cada povo.

A HISTÓRIA DO ESPERANTO:
O esperanto foi criado pelo gênio polonês LÁZARO LUIZ ZAMENHOF, nascido a 15 de dezembro de 1859, na cidadezinha de Bialystok. Desde menino, Zamenhof já acalentava o sonho de criar uma língua em que todos os homens pudessem se entender. E isso foi possível a partir de 1887, ano da publicação do primeiro livro sobre o esperanto. Daí em diante, começou a expansão do idioma internacional. Em 1905, realizava-se, em Boulogne-sur-Mer, cidade francesa, o primeiro Congresso Mundial de Esperanto. Zamenhof ainda iria participar de mais nove Congressos Universais, até 1917, quando veio a falecer. Falado por milhões de pessoas nos cinco continentes, com milhares de obras publicadas ( originais e traduzidas) e com uma centena de periódicos editados regularmente, o esperanto é uma realidade viva do nosso tempo.

O ESPERANTO E AS LÍNGUAS NACIONAIS:
Por que, ao invés do esperanto, não se deveria escolher uma língua nacional para ser o idioma internacional? Porque:
1. O esperanto é muitas vezes mais fácil do que qualquer idioma nacional;
2. A adoção de um idioma nacional significaria a supremacia do país que fala esse idioma.

A FACILIDADE DO ESPERANTO RESIDE EM TRÊS PONTOS FUNDAMENTAIS:
1. Seu alfabeto é fonético, ou seja, cada letra possui um único som;
2. Sua gramática é regular e não apresenta exceções e
3. Seu vocabulário, constituído de palavras com radicais oriundos dos principais idiomas modernos, bem como a existência de um sistema de formação de novas palavras, mediante o simples acréscimo a esses radicais de sufixos e prefixos, de significação constante.

Por isso, qualquer pessoa de cultura média poderá aprendê-lo, num curto espaço de tempo, com ou sem mestre.
Quanto à sua praticidade, já está demonstrada por mais de um século de uso constante entre os esperantistas de países de línguas nacionais diferentes, seja através do uso escrito ou oral.

UM TEXTO PARA REFLEXÃO:
O artigo abaixo foi publicado no Boletim número 26, do Sindicato dos Engenheiros de Volta Redonda e transcrito em um dos órgãos de divulgacão da Liga Brasileira de Esperanto, em dezembro de 1985. O texto, de autoria do Dr Alberto Flores é antigo, mas o problema que aborda permanece atual.

O ENGENHEIRO BRASILEIRO E AS LÍNGUAS
Eng. Alberto Flores
Por ser um técnico, o engenheiro brasileiro precisa ir buscar novos conhecimentos fora do campo da língua portuguesa. Isto significa que deve se esforçar para dominar duas ou mais línguas estrangeiras, se não quiser ficar desatualizado ou superado.
É por meio dos livros e revistas técnicas estrangeiras (caras) e de viagens ao exterior (mais caras ainda) que o engenheiro se põe em dia com o avanço da ciência e da técnica. Isto custa esforços e sacrifícios.
Quando um engenheiro brasileiro necessita conviver com um assessor técnico estrangeiro, quase sempre passa apertado: ou usa um intérprete ( que mais atrapalha do que ajuda) ou tem que falar a língua do visitante. Neste caso estará sempre em condições de inferioridade lingüística, falando com falhas ( bárbaras) ou "macarrônicamente", isto é, todo enrolado. "Eles", os estrangeiros, não estudam o português. Não perdem tempo nem esquentam a cabeça com isto. Nós, brasileiros, é que temos de gastar nosso fosfato, nosso escasso tempo e minguado dinheiro, para aprender mal a língua deles, sempre cheia de irregularidades difíceis de dominar
Lembram-se das dificuldades de pronúncia do inglês? Você escreve uma coisa e lê outra ( o inglês não é fonético!). E os verbos do francês? É porrete na cabeça! E o alemão? Só as declinações já tonteiam qualquer um. E o russo? Além de muito diferente, ainda é escrito com outro alfabeto! E o japonês? Tente pra ver! E por aí vai. Só se salva um pouco o espanhol ( cuidado com os "falsos amigos") e , talvez , o italiano, desde que alguém se dedique a estudar-lhe a gramática.
Como se vê, o problema da comunicação é sério e complexo. Existem no mundo mais de 2.000 línguas, mas talvez só umas 10 apresentem realmente importância técnico-científica. Mesmo assim, dominá-las é dose pra elefante. Haja tempo, paciência e $$ pra estudá-las. São todas difíceis, complexas e irregulares. E, por isso, as barreiras lingüísticas continuam dificultando o intercâmbio e cooperação técnico - científico - cultural. Em pleno século XX, vivemos num mundo de povos separados pelos idiomas; isolados uns dos outros pelas diferentes línguas, algumas das quais lembram o dominador, o colonizador, o opressor.
A língua inglesa, por exemplo, exerce uma terrível pressão cultural, resultando numa colonização técnico - científica ( colonização significa domínio), sem precisar mandar colonos; o seu predomínio nos impinge uma cultura, uma literatura e uma tecnologia que nem sempre é a melhor.
E olha que eu não estou falando de música! Como já vimos, "eles"não gastam tempo estudando a língua dos subdesenvolvidos, dos emergentes, dos endividados e explorados do terceiro Mundo. Este, coitados, é que devem se esforçar, gastar seu tempo e dinheiro, entender o idioma do já desenvolvido, que passa a ser o "modelo" a ser seguido, imitado e assimilado.
É justo isto? É lógico isto? - Não.
Há solução para isto? - Sim.
A solução racional é a adoção de uma língua clara, fonética, regular, simples e lógica, como "Segunda" língua de todos os povos; uma língua fácil de se entender e que não beneficie apenas um povo, mas seja fácil para todos, a fim de que todos possam aprendê-la e usá-la sem tropeços. Esta é uma solução digna do "homo sapiens" de nossa época.
Essa língua ideal já existe, já funciona e já produz bons resultados em todos os continentes. Procure conhecê-la. É o ESPERANTO, a língua do homem culto moderno.
Você vai descobrir um tesouro cultural ao seu alcance! Se duvidar, faça um teste: estude o ESPERANTO durante 3 meses, e me diga depois, se eu estava exagerando ou não!

INTERNET E ESPERANTO:
A maioria das pessoas não faz a menor idéia da situação do esperanto no mundo atual. Com o advento da Internet ,a circulação das informações tornou-se muito mais democrática. As pessoas buscam as notícias que lhes interessam, não são mais obrigadas a ficarem restritas ao que é filtrado pelas agências de informação. Hoje, podemos examinar, tranqüilamente, o que se passa em qualquer parte do mundo, navegando e pesquisando o que há de mais interessante no ciberespaço.
Poderíamos citar uma infinidade de "home pages" criadas por instituições esperantistas, a fim de chamar a atenção do nosso movimento. Mas, indicaremos apenas uma, a de um grupo denominado
VIRTUALA ESPERANTO KLUBO INTERNACIA , que apresenta informações em português e esperanto. Vale a pena conferir: http://www.esosoft. com/esperanto

em construçãoNossa página está em permanente construção. Mas, o endereço eletrônico está sempre disponível. e-mail Aguardamos sua mensagem!
volta à pág. inicialvolta à pág. inicial

Bol.Inf.02